Views
2 months ago

edição de 11 de março de 2019

  • Text
  • Marcas
  • Propmark
  • Brasil
  • Ainda
  • Jornal
  • Mercado
  • Anos
  • Digital
  • Marketing
  • Empresas

MERCADO ABA mostra na

MERCADO ABA mostra na WFA como aplica no país iniciativas globais das marcas Anunciantes realizam congresso em Lisboa entre 26 e 29 deste mês; Sandra Martinelli exibe dados e como o marketing muda os negócios Paulo Macedo WFA (World Federation of A Advertisers) promove sua reunião anual, a Global Marketer Weeke 2019, entre os dias 26 e 29 deste mês na cidade de Lisboa, em Portugal. ABA (Associação Brasileira de Anunciantes) será representada pela presidente-executiva Sandra Martinelli, que integra o comitê gestor da entidade cujos associados representam cerca de US$ 1 trilhão dos investimentos em mídia consolidados internacionalmente. Os anunciantes, nas palavras de Sandra, enfrentam desafios comuns, mesmo com suas demandas locais. O digital trouxe um novo olhar das marcas para um ambiente estratégico orientado por dados. E, em uma era marcada pela difusão de fake news, todo cuidado é pouco. O que favorece é que os anunciantes e suas agências reagem de forma sintomática aos novos cenários, principalmente para se protegerem do foco oportunista que se configura com as novidades tecnológicas, especialmente os consumidores que podem ser afetados por informações sem lastro. Um dos fóruns mais importantes será sobre Sourcing, com a participação de especialistas em compras multinacionais de marketing. Esta sessão vai enfocar o Projeto Spring da WFA: iniciativa global que destaca a evolução da percepção do desempenho e do valor da aquisição de serviços de marketing, desde o foco principal na redução de custos, mas também em direção às áreas que incluem entrega de valor e retorno sobre o investimento. Esta sessão vai utilizar as regras da instituição inglesa Chatham House. “Oficinas interativas procurarão identificar coletivamente soluções para demonstrar a real criação do valor de aquisição de marketing. Incluindo fluxos na Sandra Martinelli representa o mercado brasileiro na semana global dos anunciantes modernização de métricas de aquisição de marketing global e comunicação de gerenciamento des mudanças internacionais. Funciona paralelamente aos Fórum de Mídia, Integração e de Políticas”, detalha o programa da semana global de marketing da WFA. As fraudes são outra preocupação dos anunciantes. O Media Forum vai enfatizar essa pauta. “Ao longo dos últimos 12 meses, a indústria viu novos anéis de fraude nas peças de publicidade, agências de mídia investigadas pela aplicação da lei, o surgimento de novas preocupações de segurança de marca e a implementação do Guia de Boas Práticas. Essas e outras questões de governança de mídia impactam diretamente o crescimento e são exatamente questões para as quais a Carta de Mídia Global da WFA foi projetada para responder. Alê Oliveira “Nos últimos aNos, o setor de mídia foi iNserido Num ceNário de acesso facilitado às iNformações, demaNdaNdo maior cuidado e clareza Na publicidade oNliNe” Esta sessão continuará com o foco do Media Forum na identificação de soluções e insights reais e tangíveis para lidar com as principais ameaças ao crescimento enfrentadas pelos líderes de mídia do lado do cliente”, diz o roteiro dessa atividade do evento da WFA que contará com a presença de nomes como Gerry D’Angelo, diretor de mídia global da P&G, e Ben Jankowski, vice-presidente de mídia da Mastercard. Eles vão explicar como as organizações estão respondendo a problemas externos e como estão reprojetando equipes e processos internamente. A palestra de Sandra Martinelli no evento da WFA terá como tema ABA liderando localmente as iniciativas globais. “Representamos os anunciantes do quinto maior país do mundo em território e população: o Brasil. Somos mais de 210 milhões de habitantes e aproximadamente 57% deles conectados à internet. Neste contexto de alto consumo de mídia, o mercado publicitário brasileiro movimentou, em 2017, R$ 134 bilhões, o que simboliza aproximadamente US$ 36 bilhões. A ABA responde hoje por cerca de 70% desse investimento ao representar suas 132 empresas associadas. Em 2019, completando 60 anos, a entidade comemora as grandes conquistas que projeta para os dias que estão por vir e, olhando para sua história, celebra a consolidação do propósito de mobilizar o marketing para transformar os negócios e a sociedade. A Carta Global de Mídia, lançada pela WFA em maio de 2018, veio como uma grande colaboração para um posicionamento de transparência. Nos últimos anos, o setor de mídia foi inserido num cenário de acesso facilitado às informações, demandando maior cuidado e clareza na publicidade online”, finaliza Sandra. 36 11 de março de 2019 - jornal propmark

MERCADO Números do Carnaval deste ano devem chegar a cerca de R$ 7 bilhões São Paulo desponta na folia e registra maior investimento da história nos blocos MARINA OLIVEIRA De acordo com a estimativa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), os números do Carnaval 2019 devem chegar a R$ 6,78 bilhões, o que representa alta de 2% na receita das atividades econômicas envolvendo os setores de serviços turísticos no país. A data, que já é a segunda para o setor hoteleiro, também reforça a economia com a contratação temporária de 18,4 mil pessoas. O segmento de serviços e alimentação é apontado como o responsável por cerca de 78% das oportunidades geradas. Ainda de acordo com o CNC, os estados do Rio de Janeiro (R$ 2,1 bilhões) e de São Paulo (R$ 1,9 bilhão) são responsáveis por 62% da movimentação financeira durante a folia, seguidos por Minas Gerais (R$ 615,5 milhões), Bahia (R$ 561,9 milhões), Ceará (R$ 320 milhões) e Pernambuco (R$ 217,6 milhões). Os demais estados, somados, contabilizam pouco mais de R$ 1 bilhão. Além de impulsionar diversos setores da economia, a data é também uma oportunidade para as marcas. Este ano, o Carnaval de rua de São Paulo, foi o que mais cresceu no país, recebendo 487 blocos e 514 desfiles com público estimado em cinco milhões de pessoas. A Arosuco Aromas e Sucos, subsidiária da Ambev, patrocinou a festa paulista se unindo ao iFood e ao Uber. Foram investidos R$ 16,1 milhões, maior valor da história do Carnaval paulista. A Ambev também esteve nas ruas de Belo Horizonte, Salvador, Recife, Rio de Janeiro e Florianópolis. Outras marcas, como Hering, Hotéis.com, Sephora, Dorflex e Absolut, realizaram ativações nos blocos e camarotes por todo o país. Já no Sambódromo, a Mancha Verde, escola de samba da torcida organizada do Palmeiras, venceu pela primeira vez o Carnaval de São Paulo e contou com o patrocínio de Amstel, Guimel Unique e da Crefisa, que também financia o clube de futebol e é um dos patrocinadores máster da transmissão dos desfiles na Rede Globo. No Rio de Janeiro, a Mangueira, que não ganhava desde 2016, contou com patrocínio da Piraqué, Maxter X e Uber. Divulgação/Prefeitura de São Paulo/Paduardo Skol disponibilizou R$ 16,1 milhões para financiamento da festa em SP; marca fez ações em parceria com iFood e Uber jornal propmark - 11 de março de 2019 37

edições anteriores

Receba nossa newsletter

CADASTRAR

© Copyright 2000-2017 propmark o jornal do mercado da comunicação. Todos os direitos reservados.